Como Tirar 1000 na Redação do ENEM

A redação do ENEM é uma das provas mais temidas pelos candidatos, mas não precisa ser assim.

O título da redação do ENEM é opcional, mas saber defender ideias é fundamental. Escrever um texto para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) capaz de tirar nota 1.000 é um grande desafio; na última edição, em 2014, apenas 250 estudantes, em todo o país, conseguiram esta proeza.

Publicidade

Dicas para a Redação do ENEM

enem redação nota 1000

Para se preparar para a prova, é necessário estar atualizado. Assistir a noticiários, ler jornais e revistas, discutir com os colegas sobre política, economia e outros temas que estão polarizando a opinião pública é muito importante para a redação do ENEM.

Vale lembrar que o texto solicitado na prova é dissertativo-argumentativo. Ficam de fora as meras descrições e narrações – por mais brilhante que seja uma redação descritiva, ela receberá nota zero no ENEM, uma vez que foge da proposta da banca examinadora.

Publicidade

O que ler?

Todas as provas do ENEM, inclusive a de redação, são preparadas com muita antecedência. Por isto, é muito difícil que um tema palpitante na semana do exame seja tema da prova. Os assuntos mais frequentes no noticiário – como a crise política e econômica, por exemplo – apresentam maior probabilidade de figurar na temática a ser explorada na prova de redação.

Os temas mais comuns, no entanto, focam no meio ambiente, problemas comunitários, sociedade e cultura. Assuntos focados especificamente em política, questões de gênero ou de religião dificilmente são cobrados na prova de redação, por motivos óbvios.

Uma dica importante para tirar 1000 na redação do ENEM é treinar bastante. Escolha um assunto qualquer (sem se esquecer de que ele deve ser opinativo) e escreva sobre ele. A prova de redação é aplicada juntamente com as provas de Português e Matemática: é conveniente reservar uma hora para redigir o texto.

Publicidade

Escreva o texto e espere um tempinho para revisá-lo. Releia o material, corrija as eventuais imperfeições, troque algumas palavras e passe a redação a limpo. Nos treinos, confira o significado de alguns vocábulos no dicionário. É comum dizer que o “dicionário é o pai dos burros”, mas, na verdade, é o pai dos inteligentes.

Quem consulta dicionários se condiciona a utilizar a norma culta da língua, algo fundamental para a redação de qualquer texto.

nota 1000 na redação do enem

Erros que devem ser evitados

Além de se esquecer de desenvolver um texto opinativo, um erro muito comum verificado na prova de redação do ENEM é o radicalismo, que precisa ser evitado. É possível ser ambientalista sem ser ecochato, por exemplo. Consciência e opinião não são sinônimos de extremismo.

Citar a sabedoria popular (os provérbios) ou autores conhecidos são uma boa dica para a prova de redação do ENEM, mas é preciso verificar a adequação. Nas edições anteriores, muitos estudantes abusaram das citações, mas se esqueceram de contextualizaram-nas. O resultado foi um “samba do crioulo doido” sem nenhum nexo.

O beletrismo também não é bem visto pelos avaliadores da prova de redação do ENEM. Apesar de o termo poder ser definido como a arte das “belas letras”, geralmente é considerado o abuso da língua culta (como a introdução de mesóclises ou de termos pouco usados na linguagem do dia a dia).

No sentido depreciativo, beletrismo é a literatura amadora, superficial e de menor qualidade. Lembre-se: linguagem formal não é sinônimo de linguagem complicada.

Por outro lado, a linguagem informal também pode trair. Trazer um “veio” ou um “irado” para a redação do ENEM pode irar (sem trocadilhos) os examinadores. Expressões coloquiais e gírias não são adequadas a um texto formal, a menos que o material verse exatamente sobre o tema – o empobrecimento da linguagem no dia a dia.

Tirar zero na redação do ENEM

Para resumir, zerar na prova de redação do ENEM significa: fugir do tema; fugir da proposta dissertativo-opinativa; escrever apenas sete linhas ou menos; redigir textos com palavrões, desenhos ou deboches; desenvolver temas com desrespeito aos direitos humanos (racismo, sexismo, homofobia ou xenofobia); e, claro, folha de redação em branco.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *